Da coleção “Horizontes”

Este horizonte eu resgatei de uma viagem antiga, mas que foi um prêmio mesmo não tendo grande qualidade. Depois de alguns dias em Taormina na Sicília, a tão famosa vista do vulcão Etna não aparecia. Por conta do clima, o tempo estava sempre nublado…. até que em uma caminhada, uau! Parece uma miragem, mas sim, por alguns instantes o Etna apareceu no horizonte!

Etna visto de Taormina - Sicília - Itália

A exótica Tailândia

O tempo passou, outras viagens vieram mas não posso deixar de compartilhar minhas impressões sobre a última parada no Sudeste Asiático: a exótica Tailândia.

Um dos países mais visitados do sudeste asiático, sua capital é Bangkok e achei lindo os templos budistas dourados e outros que parecem mosaicos de porcelana.

Bangkok

Mercado Flutuante

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como são as impressões de cada um, né? Li dezenas de relatos que eu não gostaria de Bangkok. Que é sujo, trânsito caótico, perigoso, etc e tal. Pois não achei nada disso. Como toda grande cidade, tem os mesmos problemas que as outras. Por isto como fala o texto da Ana Maria Lemos, nada substitui a experiência!

Foram quatro dias nas praias e mais quatro na capital. Faltou ir para o norte do país… vou ter que voltar um dia.

O hotel que ficamos hospedados fica num reduto árabe, para me alegrar com essa comida de Alá, meu bom Alá. Já falei que desde o primeiro dia estamos em dúvida de quem vai dominar o mundo: os chineses ou os muçulmanos? A briga vai ser boa. 

O povo, como dos demais países, também é gentil. 

Palácio Real BangkokTem um rio importante que atravessa a cidade (Chao Phraya) de onde saem barcas e barcos típicos pra te levar de um lado para outro. Fui ao Palácio Real (lindíssimo) ver o Buda de esmeralda que é o Buda mais venerado da Tailândia. Enfrentei o rio, enfrentei os chineses, enfrentei a blusa que me fizeram vestir, pois fui de ragata e falaram que eu não tinha respeito pelo Buda. Aqui não adiantou o xale. Tem que se vestir adequadamente mesmo. Eles alugam roupa na entrada do palácio, mas não caia nessa. Se você chegar tarde vai vestir uma roupa usada e suada, sem contar a fila .

Buda deitado

O Buda de jade é lindo. Só que não pode tirar foto. Tem também um Buda deitado folhado a ouro gigante.

Já disse que até vir pra esses lados, o meu Buda era aquele careca gordinho? Até ontem, nem sinal de Buda obeso. Tudo magrinho, esbelto, sempre com cara de êxtase. Não é que ontem dei de cara com um fofo no Templo Wat Arum? Belezinha de gordo. 

Buda fofo

Na volta, um programa imperdível: andar de tuk tuk naquele caos com o motorista tirando fina de tudo, fazendo conversão proibida e segure-se quem puder! Pessoas cardíacas, epiléticas, hipertensas, portadoras de marcapasso e ajuizadas devem evitar esse transporte. 

Continuar lendo

Belezas naturais da Geórgia

Nossa colaboradora Vera Eterovic nos dá a oportunidade de conhecer um pouco de algumas belezas naturais da Geórgia, país ao sul do Cáucaso ainda pouco divulgado. Pelas belas paisagens vale a pena considerar no roteiro. 🙂

Prometheus cave

Okatse cânion e cascata

Agra e o Taj Mahal

O encontro com o Taj Mahal é um dos momentos de maior expectativa para quem visita Agra na Índia. Uma das sete Maravilhas do Mundo Moderno, este mausoléu exerce um fascínio, seja pela arquitetura ou pela história de amor que representa, que justifica estar às 5:30 da manhã na sua porta para poder visitá-lo com menos concorrência.

E a primeira visão é impactante. Um ohhhh sai da boca espontaneamente. Sua fachada branca imponente contrastando com a escuridão do portal de entrada ao amanhecer… LINDO!

Taj Mahal ao amanhecer

Ele foi construído em memória da segunda esposa do  imperador Shah Jahan, sua preferida, chamada por ele de Mumtaz Mahal (a Jóia do Palácio) e que faleceu ao dar a luz ao seu 14o filho, em 1630.

A imponência e suntuosidade da construção em mármore branco e detalhes incrustrados chama atenção à distância e se destaca na Detalhe das inscrições na porta principal do Taj Mahalpaisagem. Tanta grandiosidade faz pensar na complexidade e investimento (humano e de dinheiro) feitos para a realização deste projeto. Não só o prédio principal com seus minaretes, mas todo o conjunto dos jardins, mesquita e outros edifícios formam um complexo impressionante, digno de uma das maravilhas do mundo moderno.

Nascer do sol em atrás de um dos minaretes do Taj Mahal

Ter a oportunidade de caminhar por este local com o sol nascendo foi de fato especial. Diferentes cores e nuances que só realçaram a beleza dos detalhes desta obra de arte. Além disso, menos turistas que outros horários. Fica a dica!

Forte de Agra

Também chamado de Forte Vermelho de Agra por conta da cor externa, este forte da época do Império Mongol é considerado um dos mais importantes da Índia. Patrimônio Mundial da Humanidade é uma preciosidade que vale muito a visita.

Continuar lendo

Jaipur, a “Cidade Rosa”

Jaipur, "Cidade Rosa"

Jaipur foi nossa primeira parada e é também conhecida como “Cidade Rosa” pela cor das fachadas que ainda pode ser vista em parte da cidade, pintada para a visita do príncipe de Gales em 1876. É a capital do estado do Rajastão e a 10maior cidade da Índia. Em uma volta pela cidade é possível observar a estrutura e a marcante arquitetura local.

Templo Galta Ji ou Monkey Palace

Pinturas Templo Galta Ji

Templo de peregrinação Hindu que preserva pouco das pinturas originais, feitas com técnicas milenares esquecidas com o tempo.

Suas construções são belas e mesclam-se com as pedras da encosta. O complexo possui vários templos e você pode circular por todos eles. Mas lembre-se que, quando estiver para entrar no templo, você deve sempre retirar os sapatos.

O local é conhecido também como Monkey Palace, pois os macacos estão por toda a parte e parecem, de fato, os “reis” do local. Circulam livremente, tomam banho na piscina e são tratados com respeito por todos. Pessoalmente, tenho certa desconfiança deles e prefiro observá-los de longe. Mas é impossível andar por lá e não cruzar com um comendo alguma coisa nas escadas.

É um local de paz, silencioso, e é bonito ver jovens monges ali dedicados ao estudo e a vida espiritual.

Chama atenção a sujeira pelos caminhos. Dos sítios visitados foi o que mais me impactou pela quantidade de lixo no local. Talvez não exista verba ou pessoas suficientes para a manutenção o que é uma lástima, pois o local é belo e vale a visita.

Forte Amber

Outra atração imperdível em Jaipur. Para chegar até ele vivenciamos uma das experiências mais inusitadas no trânsito.  

Foto Lena Geise

Compartilhar a via com elefantes e dromedários além dos tuk-tuk, bicicletas, charretes, carros, etc foi um exercício de paciência e uma demonstração da tolerância que existe entre todos. Apesar do trânsito caótico, não percebi nos locais nenhum estresse. Já se fosse por aqui..

Para se chegar ao Forte você pode ir a pé, de jipe ou elefante. Fomos no jipe (já que ir em elefantes é contra nossos princípios) por caminhos estreitos e confusos. Uma aventura. Quando o trânsito parava por alguma razão o motorista abandonava o carro e ía ver o que se passava. Tranquilo, simplesmente saía e nós ficávamos lá, esperando. Talvez por algum motivo especial (com tantas paradas) o percurso este dia tenha sido mais demorado do que outros, mas gastamos mais de 1(uma) hora para chegar da base até lá.

Continuar lendo