Arquivos da Tag: Camboja

Camboja

De Laos para o Camboja tem mais ofertas de voos. Voamos pela Vietnan Airlines de Luang Prabang para Sien Reap (U$164,00).

O Reino do Camboja é um país com uma população de mais de 14 milhões de pessoas. O Camboja é o Estado sucessor do poderoso Império Khmer, que governou a maior parte da península da Indochina, entre os séculos IX e XIV.

O Camboja foi ao inferno e voltou. De 1969 a 1975, sofreu intensos bombardeios dos EUA na tentativa de dizimar os guerrilheiros do Vietcong infiltrados na região da fronteira. O cenário serviu para o fortalecimento do movimento revolucionário comunista Khmer Vermelho que, liderado por Pol Pot, derrubou o governo em 1975, evacuou as cidades e criou uma economia agrária baseada na coletivização da produção. Na prática, tratou-se de uma das maiores carnificinas já vistas, com estimados dois milhões de mortos de uma população de quatro milhões de pessoas.

Esse cenário, felizmente, está enterrado. Reino de contrastes sociais visíveis e de pobreza extrema, o Camboja se abriu recentemente ao turismo e passou a figurar no roteiro dos viajantes no sudeste asiático, com a oferta de paisagens naturais estonteantes, ruínas milenares e um povo que não economiza nos sorrisos e nos bons tratos aos estrangeiros. Do caminho do aeroporto para nosso hotel, vi muitos hoteis de luxo, resorts e não esperava que a cidade estivesse tão grande.

A jóia da coroa são as ruínas de Angkor Wat. Sua grandiosidade e beleza são estonteantes. Por isso só me limitei a conhecer Sien Reap mesmo.

Angkor Wat

Para entrar no complexo você precisa comprar o ingresso, que vale pra 1 , 3, ou 7 dias. Fomos 2 dias.

 

Angkor abrange uma extensão em torno de 200 km². O Complexo de Angkor é formado pelas ruínas do que foi a capital religiosa e administrativa do império Khemer.

 

Visitamos um templo também do complexo dedicado só às mulheres e  entalhado também por elas. Foi o mais ricamente decorado que vimos. Alem do que, estava vazio. A maioria dos turistas visitam os mais famosos.


Andando pela “city”, não temos mais dúvidas: Siem  Reap globalizou de vez. Todas as marcas mundiais, redes de fast food, e quase não se vê mais os costumes tradicionais.

Os monastérios estão em crise de vocações. Os poucos monges que cruzei oferecem alguma bobagem e cobram 1 dólar. Todos com celular!!!!

Lembrem-se que em Laos e Myanmar eles só tem a roupa, chinelo e uma vasilha para receberem o alimento para o dia todo…Não aceitam nada além disso.

Chamou a atenção a quantidade de pedintes, muitos! Inclui crianças de 4-5 anos que ajoelham nos nossos pés pedindo 1 dólar, 1 euro… Também muitos vendedores ambulantes insistentes demais pra minha paciência.

Já era. Nao sei onde isso vai parar, então, bóra entrar no clima cambojano e se misturar aos costumes. Fizemos tatoo de henna, muita massagem e comemos bem.  O tempero do camboja é muito bom!

Muito prazer, sou Ana Lúcia Portella.

 

Sempre gostei de viajar. Mais ainda se for para lugares remotos e de costumes diferentes do meu país. Minhas viagens começam muito antes da data de embarque… Sempre preciso saber do destino antes de partir. Sou assim.

 

Nos lugares que visito procuro ver além do que os guias me contam, busco ao olhar nos olhos e nas expressões dos locais o que pensam e o que sentem. Adoro interagir e fazer perguntas sobre a estrutura, a educação, saúde, trabalho e outros temas locais, mas nem sempre consigo as respostas que desejo. Tudo bem, só um pouco de frustração.

Para esse ano de 2017, escolhi o Sudeste Asiático.

Para um destino tão longe, necessariamente você precisa estudar e planejar tudo com muita antecedência. Isso não exclui você ter surpresas, contratempos. Daí a importância de levar a flexibilidade na mala como fala o texto Adaptabilidade é essencial!

Parti do Brasil dia 21/1, mas o planejamento começou 4 meses antes. Revistas, guias, sites, blogs foram essenciais. Roteiro escolhido, fui encaixando os voos. Não sei se foi a melhor estratégia, mas foi assim que foi feito.

Pôr do Sol – Dubai

Escolhido os passeios, foi a vez dos hotéis e sempre que puder fique próximo das atrações, pois facilita o transporte e você aproveita melhor o tempo. Mas se não for compatível com seu bolso, adapte-se e não perca o humor por isso!

Mandalay

Organizar uma viagem de 30 dias por vários países dá um trabalho danado. Se você detesta isso ou não tem tempo, opte por uma excursão ou peça ajuda a um Consultor de Viagem.

Aqui no Cenários de Viagem, vou compartilhar um pouco do que foi esta minha aventura e do que senti e percebi visitando Dubai, Myanmar (Mandalay, Bagan, Yangon), Laos, Camboja, Singapura, Bali e Tailândia (Phuket e Bangkok).

Espero que viagem comigo!

Da coleção “Horizontes”

O horizonte de um lindo campo de flor de lótus no interior do Camboja. Simples e belo. Adoro esta foto! Olhar para ela me acalma.

Campo Lotus - Camboja Mar 2009